15 de fevereiro de 2018

Entrada

Camoniana

o blogue dos Estudos Camonianos


Retrato do poeta, c. 1573/5,por Fernão Gomes (1548-1612)
Luís de Camões (Lisboa, c. 1524 – Lisboa, 1580) é um dos maiores escritores do mundo, em língua portuguesa. Desde o Classicismo (séc. XVI) até à nossa contemporaneidade, que “o engenho e arte” manifestados pelo poeta na sua epopeia “Os Lusíadas” e nos seus poemas líricos tem fascinado o leitor comum e o leitor especializado, proporcionando extensa e diversa receção crítica (artigos, ensaios, teses académicas...), glosas de homenagem e emulativas, criativa recriação por parte de escritores. Em todas as épocas, contínuas gerações têm admirado a sua obra e nela encontrado o eco ou o desvelar dos seus próprios sonhos e anseios. Nesse sentido, como referiu o camonista Vítor M. Aguiar e Silva, “Camões é um clássico que tem sido moderno ao longo dos séculos”.

Pode navegar pelas suas múltiplas facetas através das páginas aqui apresentadas:

A sua vida divulga informação e recursos sobre a biografia do poeta.

A sua obra mostra inicialmente as obras camonianas arrumadas por género (lírica, épica, teatro, cartas) e, dentro de cada género maior, fornece os textos dos subgéneros. No final, providencia-se a ligação para as Obras digitalizadas de Luís de Camões, na Biblioteca Nacional de Portugal.

A época apresentará ligações para: os grandes movimentos culturais e filosóficos que modelaram o tempo histórico de Camões; a influência de autores espanhóis e italianos; autores contemporâneos de Camões.

Testemunhos consiste numa antologia de excertos de consagrados camonistas sobre a vida e a obra de Camões.

Fortuna crítica contém listas de referências (bibliografia passiva) sobre a vida e a obra de Camões: receção crítica (camonistas, teses académicas, atas de encontros, artigos de periódicos e números temáticos, etc.); receção criativa (obras literárias e artísticas inspiradas em Camões) e traduções noutras línguas.

Multimédia abre-se ao diálogo intertextual da obra camoniana com as artes: Iconografia, Cinema, Música, etc. Pode ser uma aliciante porta de entrada no universo literário de Camões.

Recursos didáticos disponibiliza "materiais" (fichas de trabalho, resumos, esquemas, documentos históricos, etc.) que podem orientar o estudo da obra camoniana de acordo com os Programas e  Metas Curriculares de Português. É um auxiliar do ensino (para professores) e da aprendizagem (para os alunos) no que concerne a leitura dos textos líricos (as Rimas) e da epopeia Os Lusíadas. Apresentam-se algumas referências bibliográficas e da Internet.

Utilitários reúnem informação prática e útil. São “ferramentas” de apoio ao navegante: Contactos; Mapa do blogue (um índice mais pormenorizado das principais secções do blogue); Siglas e Abreviaturas (utilizadas sobretudo nas referências bibliográficas); Glossário (de estudos literários, antropónimos, topónimos e vocabulário específico da obra e da época de Camões); Cursos de Estudos Camonianos; Notícias (Informação periódica recente, disponibilizada online).


Camões e o nacionalismo português - Conferência por José Manuel Sobral



Camões e o nacionalismo português

Conferência

por José Manuel Sobral



24.02.2018, 16:00h
Auditório da Casa-Memória de Camões, em Constância


"José Manuel Sobral, Investigador Principal do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, analisa o nacionalismo na época da publicação d'Os Lusíadas, mostrando como os temas do poema épico de Camões estão em sintonia com o modo como as nações europeias são então representadas no campo literário. 
Em seguida mostra a importância do poema na construção de uma imagem glorificadora dos portugueses e da sua história, que será retomada pelos nacionalismos subsequentes, com destaque para o período que se inaugura com a comemoração do tricentenário da sua morte. 
A concluir, aborda os motivos que explicam o lugar único de Camões nas diversas expressões do nacionalismo português."
Fonte: Conferência «Camões e o Nacionalismo Português», Constância Município - página web da Câmara Municipal de Constância, fev. 2018.

31 de janeiro de 2018

“Cantando espalharemos por toda a parte...”, sarau anual do Círculo Cultural Scalabitano - fev. 2018



“Cantando espalharemos por toda a parte...”, 

Sarau Anual do Círculo Cultural Scalabitano


Espetáculo multidisciplinar; com a duração de 90’.
24 fev. - 21h30 25 
fev.  - 16h00



Espetáculo multidisciplinar com leitura encenada. "Navegabilidade para Oriente – descobertas, conquistas, evangelização, naufrágios, aventuras e desventuras".



A ação decorrerá no “Museu de Estátuas da Epopeia Portuguesa”. Nas salas “Da Descoberta do Caminho Marítimo para Oriente”, “Do Mercado no Oriente” e da “Etnografia Ribatejana”. 

Numa deambulação pelo imaginário dos descobrimentos, os atores, músicos e bailarinos das Secções e Academias do Círculo vão conduzir-nos numa viagem com Navegantes, Religiosos e Militares. Veremos amores e desamores, naufrágios, aventuras e a glória da descoberta.

Nesta viagem, seremos guiados por Camões, Fernando Pessoa e Fernão Mendes Pinto, numa ação que alterna tempos e épocas, mas isso... é o sortilégio do teatro! 

Ficha Técnica: 

Guião de José Ramos
Encenação: Nuno Domingos

Direção Coro: Maestro António Matias
Direção Orquestra Típica Scalabitana: Maestro Abílio Figueiredo

Coreografias: Encarnação Noronha

Participam: Veto Teatro Oficina, Coro do CCS, Orquestra Típica Scalabitana e Ballet da Academia de Dança do CCS

Espetáculo multidisciplinar; com a duração de 90’.

Informações e reservas: 

Rua Maestro Luís Silveira n.º 4
2000-117, Santarém. 
Telef.: 243321150
circuloscalabitano@gmail.com

Horários: 24 fev. | 21h30 25 fev. | 16h00

5 de janeiro de 2018

CAMÕES É UM POETA RAP

1 - com Gisela Cañamero

Lírica Luís de Camões

Dramaturgia, encenação e interpretação: Gisela Cañamero
Banda sonora: Luís Beco
Vídeo: José Barbieri
Produção: Arte Pública

Vídeo disponibilizado no Youtube, publicado a 20.05.2010.

"Evento performativo e musical, 
com a qualidade literária do génio de Camões. 
Assenta num conceito inovador que aproxima 
a Lírica do grande poeta à nossa vivência contemporânea, 
através dos ritmos rap e hiphop."

2 - com Luís Amaro


"A Lírica do Príncipe dos Poetas tece o seu tortuoso percurso de vida, nesta performance que cativa os mais jovens para a PALAVRA dita e cantada."
Com Luís Amaro, performer.

As seguintes fotografias de Luís Amaro foram encontradas em Arte Pública, no Facebook.





1 de janeiro de 2018

Carlos Reis, 2015, Leitura orientada de Rimas e Os Lusíadas, de Camões

Recurso didático:

REIS, Carlos (2015) Rimas e Os Lusíadas, Luís de Camões: inclui História trágico-marítima: leituras orientadas, 10.º ano. Porto: Porto Ed. – Contém bibliografia, p. 158-159.

Leitura orientada de Rimas e Os Lusíadas

Excerto:
"Afinal de contas, que interesse podem ter os feitos dos navegantes celebrados n'Os Lusíadas, as maldades de Baco, as fúrias de Júpiter, as correrias pela Ilha dos Amores, os desastres da navegação, as lamentações do poeta longe da pátria, as suas ilusões e fracassos amorosos ou a angústia com que viveu a passagem do tempo? À primeira vista, nenhum; numa segunda aproximação, porém, talvez possamos lançar algumas pontes entre o longínquo século XVI e os nossos modos atuais de sentir e de viver em sociedade.


No século XXI, ainda vivemos o amor e tememos a guerra, lidamos com os poderosos e temos a ambição de conhecer terras novas, ficamos perturbados quando pensamos na morte e olhamos para as nossas vidas como um trajeto que um dia acaba, sabemos o que é a inveja, o heroísmo, a saudade, o ciúme, o erotismo e o absurdo das coisas que não entendemos. Camões fala-nos de tudo isso e de muito mais. Com ele podemos aprender a ser pessoas mais conscientes de nós mesmos e das nossas responsabilidades para com os outros.”
Carlos Reis, p. 7.


Descrição:

Este auxiliar de estudo aborda, de modo claro e rigoroso, todos os tópicos de conteúdo previstos no Programa e Metas para: Luís de Camões, Rimas; Luís de Camões, Os Lusíadas; História Trágico-Marítima: ”As terríveis aventuras de Jorge de Albuquerque Coelho (1565)” (excertos).



"Os livros desta coleção propõem a análise de textos que constam do Programa e Metas Curriculares de Português do Ensino Secundário.

Enquanto auxiliares indispensáveis para o sucesso escolar, os títulos desta série destinam-se, antes de mais, ao aluno que deseje colher orientações de leitura inspiradas nos tópicos de conteúdo que se encontram no Programa, em particular os que se referem ao domínio da Educação Literária.

Esta abordagem de Rimas e Os Lusíadas, de Luís de Camões, incluindo a História Trágico-Marítima não só cumpre os objetivos referidos, como inclui diversas pistas para revisão e consolidação de conhecimentos."

(Da sinopse, no sítio da Editora)


Recursos didáticos - Referências


Auxiliares de estudo


B

BORREGANA, António Afonso (1989) Análise de Os Lusíadas. 2.ª ed., Setúbal: ed. de autor.
BORREGANA, António Afonso (1995) Os Lusíadas de Luís de Camões: o texto em análise. 2.ª ed., Lisboa: Texto. / 4.ª ed., 2 tir., 1998. / 5.ª ed., 1998. / 6 ed., 2 tir., 2003; 3 tir., 2005; 4 tir., 2006; 5 tir., 2007.
BORREGANA, António Afonso (1998) Camões lírico: o texto em análise. 4 ed., Lisboa: Texto. / 5 ed., 2001.

BUESCU, Maria Leonor Carvalhão (1984) Apontamentos de Literatura Portuguesa. Porto: Porto Ed. – [Com variantes no subtítulo – para os alunos dos liceus; segundo o programa para o 10.º e 11.º anos de escolaridade – existem edições de 1964, 1966, 1971, 1977 (2.ª ed.), 1980 (3.ª ed.) e uma ed. revista de 1993. Cito da ed. que tenho, a de 1984.]

C

CABRAL, Avelino Soares (1997) Camões épico: introdução à leitura de “Os Lusíadas”: 10.º ano. Mem Martins: Sebenta. – [Série “Cadernos de Português”].
CABRAL, Avelino Soares (1997) Camões lírico: 10.º ano. Mem Martins: Sebenta. – [Série “Cadernos de Literatura”].

R

REIS, Carlos (2015) Rimas e os Lusíadas, Luís de Camões: inclui História trágico-marítima: leituras orientadas, 10.º ano. Porto: Porto Ed. – Contém bibliografia, p. 158-159. – V. descrição aqui.

S


SUCENA, Cecília; CHUMBINHO, Dalila (s.d.) Para estudar Os Lusíadas: Camões épico. S. João do Estoril: Edições Bonanza. – [“Sebenta de Português].