26 de julho de 2016

A BIBLIOTECA CAMONIANA DE DOM MANUEL II



“Uma Exposição singular, pelo carácter único da vinda destas obras de Vila Viçosa. Singular, pela convergência entre a Fundação Calouste Gulbenkian e a Fundação da Casa de Bragança.
Singular, ainda, pela qualidade e pela raridade de uma coleção tão completa das obras de Luís Vaz de Camões.Singular, acima de tudo, pelo amor nacional e pela visão de D. Manuel II, sem cujo persistente espírito de colecionador e de estudioso, Portugal e os portugueses nunca teriam podido beneficiar de uma Biblioteca tão rica e tão ilustrativa de tempos memoráveis da sua História Pátria.”

Marcelo Rebelo de Souza, presidente da Fundação Casa de Bragança

“A Exposição que agora tem lugar pretende reconstituir a fortuna editorial daquele que é ainda, sem dúvida, não apenas o autor de Língua Portuguesa mais lido e estudado como também aquele que mais impacto tem tido na criação literária e artística de todas as épocas e na sensibilidade das diferentes comunidades políticas que se exprimem em Português.
São esses mesmos testemunhos de sensibilidade pessoal e coletiva, maioritaiamente reunidos por um Rei patriota, que agora se mostram, através de uma seleção de livros e de manuscritos, vindos da Biblioteca do Paço Ducal de Vila Viçosa para as salas da Fundação Calouste Gulbenkian.”
José Augusto Cardoso Bernardes, cocomissário da exposição


Introdução

Em elaboração. [...]


Exposição e catálogo

[...]

Multimedia


in "Literatura Aqui", extrato de programa, de RTP Ensina
Produção: Até ao Fim do Mundo, 2016.



Referências

[...]

3 de julho de 2016

Dicionário de Luís de Camões - Coordenação de Vítor Aguiar e Silva. Alfragide: Caminho, 2011.





Coordenação de Vítor Aguiar e Silva.
Alfragide: Caminho, 2011.

Contem 1005 p., mais 32 p. de ilustrações: metade a seguir à p. 336, a outra metade a seguir à p. 736; ISBN 978-972-21-2146-0.



Índices de verbetes
- por temas
- por autores


“O Dicionário de Luís de Camões, obra concebida sob a coordenação do Prof. Vítor Aguiar e Silva, constitui um vasto e rico Thesaurus da camonística contemporânea.
Os seus cerca de duzentos artigos, da autoria dos mais reputados camonistas nacionais e estrangeiros, proporcionam ao leitor uma informação abundante, rigorosa e atualizada sobre a biografia, a obra lírica, épica, dramatúrgica e epistolar de Camões, sobre a suacontextualização histórico-literária, sobre os seus problemas filológicos, sobre a influência e a crítica camonianas nos diversos períodos da literatura portuguesa e, numa perspectiva comparatista, sobre a recepção de Camões nas principais literaturas mundiais, desde a espanhola à brasileira e à norte-americana.”

(Fonte: Sinopse, na página da Editorial Caminho)


Conheça melhor o Dicionário de Camões aqui:





Edição brasileira, na Leya:


"Um tesouro literário sobre o criador de Os lusíadas! Com mais de 200 artigos que estudam as relações da obra de Camões com a pintura, as artes plásticas e com a música, sua influência na literatura latina e americana, o Dicionário de Luís de Camões é um abundante e atualizado material sobre a biografia, a obra lírica, épica, dramatúrgica e epistolar de Luís de Camões, conhecido como o maior poeta português de todos os tempos. 
Eternizado por Os Lusíadas – considerado a epopéia portuguesa por excelência – Camões influenciou gerações de escritores, pensadores, poetas, filósofos, sendo até hoje referência obrigatória para todos os amantes de literatura ao redor do mundo. 
Nesta obra, o Professor Vitor Aguiar e Silva concede especial atenção à relevância da tradição clássica na obra de Camões e às relações, sobretudo, da sua poesia lírica e épica com a literatura castelhana e com a literatura italiana dos séculos XV e XVI."
(Fonte: Sinopse, na página da Amazon.com.br)


[Atualizado a 3.07.2016]

Dicionário de Luís de Camões - Índice de verbetes por TEMAS

A indicação de páginas corresponde à edição portuguesa impressa.


A

Actéon (Mito de), 15.
Adamastor (Episódio do), 18.
Afrânio Peixoto, Júlio (camonista), 20.
Almeida, Manuel Pires de, 22.
Amor, 24.
Amora, António Soares (camonista), 27.
Andrada, Miguel Leitão de, 29.
Apolo (Mito de), 31.
Aragão, D. Francisca de, 33.
Ariosto, Ludovico, 38.
Armas e letras, 42.
Augustinianismo em Camões, 45.
Auto dos Anfitriões, 52.
Auto d'El Rei Seleuco, 53.
Auto de Filodemo, 53.
Autor e narrador n'Os Lusíadas, 54.

B

Baco (Mito de), 59.
Bembo, Pietro, 63.
Bernardes, Diogo, 67.
Bernardim Ribeiro e Camões, 71.
Bilinguismo literário luso-castelhano no tempo de Camões, 75.
Biografia de Luís de Camões, 80.
Boiardo, Matteo Maria (receção em Portugal), 94.
Boscán, Juan, 99.
Braga, Teófilo (camonista), 101.

C

Caminha, Pero de Andrade, 107.
Camões e as Artes, 110.
Camões e as artes do seu tempo, entre Humanismo e Bella Maniera, 115.
Camões e o Cinema, 125.
Camões e D. Sebastião, 128.
Camões e Diogo do Couto, 134.
Camões e Fernando Pessoa, 140.
Camões e a Literatura Infantojuvenil, 144.
Camões e o(s) Modernismo(s) em Portugal, 147.
Camões e a Música, 153.
Camões no Neoclassicismo, 158.
Camões e o Neorromantismo, 167.
Camões na poesia barroca portuguesa, 172.
Camões e o Romantismo português, 176.
Canção, 182.
Cancioneiro da Biblioteca do Escorial, 187.
Cancioneiro de Corte e de Magnates, 189.
Cancioneiro de Cristóvão Borges, 191.
Cancioneiro de D. Cecília de Portugal, 193.
Cancioneiro de Évora, 196.
Cancioneiro Fernandes Tomás, 198.
Cancioneiro Geral de Garcia de Resende, 201.
Cancioneiro Hispano-Português da Hispanic Society of America, 205.
Cancioneiro Juromenha, 206.
Cancioneiro de Luis Franco Correa, 207.
Cancioneiro do Manuscrito 2209 do Arquivo Nacional da Torre do Tombo, 211.
Cancioneiro do Padre Pedro Ribeiro, 214.
Cancioneiro da Real Academia de la Historia de Madrid, 216.
Cânone literário português e Camões (O), 219.
Cânone das Rimas (O), 228.
Cartas de Camões, 241.
Carvalho, José Gonçalo Herculano de (camonista), 249.
Castiglione, Baldassare, 251.
Castro, Estevão Rodrigues de, 254
Castro do Rio, Martim de, 257.
Censura inquisitorial na época de Camões (A), 260.
Cidade, Hernâni (camonista), 263.
Círculo Camoniano, 268.
Coelho, Manuel, 269.
Collecção Camoneana de José do Canto, 270.
Comemoração do Tricentenário da Morte de Camões — 1880, 272.
Conceção do poder político em Camões (A), 279.
Consílio dos deuses marinhos, 283.
Consílio dos deuses olímpicos, 287.
Correia, Manuel, 294.
Corte-Real, Jerónimo, 298.
Craesbeeck, Pedro, 303.
Crítica camoniana no século XVII (A), 304.

D

Degredo (Tema do… na poesia de Camões), 309.
Desconcerto do mundo (Tema do… na obra de Camões), 312.
Dias, Augusto Epifânio da Silva (camonista), 316.
Doze de Inglaterra (Episódio dos), 318.

E

Éclogas, 323.
Edição Princeps d'Os Lusíadas (A), 327.
Elegias, 334.
Eneida e Os Lusíadas (A), 337.
Épica e Império, 341.
Épica na Literatura Portuguesa do século XVI (A), 345.
Epístolas, 353.
Epopeia e o poema cavaleiresco no Renascimento (A), 358.
Evemerismo n'Os Lusíadas, 362.

F

Fado e Fortuna n'Os Lusíadas, 365.
Faria, Manuel Severim de, 368.
Faria e Sousa, Manuel de, 371.
Fernandes, Domingos, 378.
Ferreira, António, e o projeto de criação de um poema épico, 378.
Ferreira, Frei Bartolomeu, 382.
Ficalho, Conde de, Flora dos Lusíadas, 384.
Figueiredo, Fidelino de (camonista), 387.
Filgueira Valverde, Xosé (camonista), 390.
Forma cancioneiro e as Rimas de Camões (A), 391.

G

Gama, Vasco da, 395.
Gândavo, Pero de Magalhães de, 400.
Garcilaso de la Vega, 401.
Gonçalves, António, 405.
Gonçalves, Francisco da Luz Rebelo (camonista), 405.

H

Hebreu, Leão, 407.
História Trágico-Marítima (antiepopeia da decadência do império), 410.
Homero, 416.
Horacianismo em Camões, 417.
Humanismo, 419.

I

Ilha dos Amores (Episódio da), 437.
Inês de Castro (Episódio de), 444.

J

Juromenha, Visconde de (camonista), 451.

L

Labirintos, 457.
Lencastre, D. João de (Duque de Aveiro), 459.
Língua de Camões, 461.
Lira, Manuel de, 469.
Lírica de Camões: modelo de edição crítica da Nova Escola Camoniana Brasileira, 469.
Locus amoenus, 477.
Locus horridus, 482.
Lopes, Estêvão, 485.
Luís, Infante D., 486.
Lusíadas, 489.
Lusíadas (Os), 490.
Lusíadas (Os), Edição dos «piscos», 515.
Lusíadas (Os) e La Araucana, 518.
Lusíadas (Os): tradição manuscrita, 524.
Luso (Mito de), 529.

M

Maneirismo, 531.
Maneirismo em Camões, 542.
Máquina do Mundo n'Os Lusíadas (A), 555.
Maravilhoso n'Os Lusíadas (O), 559.
D. Maria, Infanta, 566.
Mariz, Pedro de, 572.
Marte (Mito de), 577.
Medida Velha, 579.
Melancolia, 581.
Meneses, João Rodrigues de Sá de, 587.
Metamorfose (Tema da… na obra de Camões), 588.
Métrica em Camões (A), 592.
Michaëlis de Vasconcelos, Carolina, 599.
Montemayor, Jorge de, 604.
Morais, Francisco de, 607.
Morgado de Mateus e a edição d'Os Lusíadas (O), 613.
Musas (Mito das), 628.

N

Naufrágio de Sepúlveda (Episódio do), 631.
Neoplatonismo de Camões, 634.
Neptuno (Mito de), 642.

O

Odes, 643.
Orfeu (Mito de), 646.
Oriente, Fernão Álvares do, 648.
Orta, Garcia de, 651.
Ovídio e Camões, 653.

P

Paródias d'Os Lusíadas, 659.
Pavão, José de Almeida (camonista), 667.
Pereira Filho, Emmanuel (camonista), 668.
Petrarquismo, 670.
Petrarquismo em Camões, 679.
Pimpão, Álvaro Júlio da Costa (camonista), 688.
Pinto, Fernão Mendes, 693.
Pinto, Frei Heitor, 697.
Poesia peninsular do século XV e Camões (A), 700.
Poesia e pintura na poesia de Camões, 703.
Poesia religiosa em Camões (A), 708.
Polémica contra José Agostinho de Macedo, 710.
Portugal, D. Manuel de, 712.

Q

Quevedo (Castelbranco), Vasco Mousinho, 717.

R

Receção de Camões na Galiza, 721.
Receção de Camões na Literatura Alemã, 740.
Recepção de Camões na Literatura Brasileira, 754.
Receção de Camões na Literatura Espanhola, 772.
Receção de Camões na Literatura Francesa, 793.
Receção de Camões na Literatura Inglesa, 806.
Receção de Camões na Literatura Italiana, 814.
Receção de Camões na Literatura Norte-Americana, 822.
Receção de Camões na Literatura Russa, 824.
Redondilhas Sôbolos rios que vão ou Sobre os rios que vão, 832.
Régio, José (camonista), 836.
Renascimento, 839.
Resende, André de, 841.
Resende, André Falcão de, 845.
Retratos de Camões, 849.
Retratos femininos na poesia de Camões, 851.
Revista Camoniana, 855.
Rhythmas de Luís de Camões (1595), 857.
Ribeiro, Aquilino (camonista), 866.
Rimas (ed. 1598), 875.
Rimas de Camões (Cancioneiro ISM e comentários), 880.
Rodrigues, José Maria (camonista), 882.

S

Sá de Miranda, Francisco de, 887.
Sannazaro, Iacopo, 892.
Saraiva, António José (camonista), 895.
Sena, Jorge de (camonista), 898.
Sérgio, António (camonista), 902.
Sextina, 903.
Sonetos, 904.
Sonho de D. Manuel, 907.
Soropita, Fernão Rodrigues Lobo, 908.
Storck, Wilhelm (camonista), 912.

T

Tágides, 917.
Tarrique, Frei António, 917.
Teatro, 918.
Tempestade Marítima (Episódio da), 919.
Tipografia portuguesa no tempo de Camões, 921.
Tradição clássica na obra de Camões (A), 923.
Traduções latinas d’Os Lusíadas, 933.
Uso do castelhano na obra de Camões (O), 937.

V

Vasco da Gama a D. Quixote (de), 941.
Vasconcelos, Jorge Ferreira de, 945.
Velho do Restelo (Episódio do), 953.
Vénus (Mito de), 957.
Viagem n'Os Lusíadas, nas Rimas e nas Cartas de Camões, 961.